22.8.15

tu misterio



mariela costumava se apaixonar
por homens impossíveis
homens cujas barbas despenteadas e macias
beiravam o castanho alourado, quase ruivo
porém ainda castanho

homens cujas barbas macias
apareciam nas lembranças dela
quase uma invenção, quase
uma mentira
porém não uma mentira
apenas uma lembrança triste
de barbas castanhas quase louras
barbas que um dia
mariela havia acariciado

mariela costumava se apaixonar
por homens distantes
homens de olhos claros e pequenos
olhos claros que podiam ser azuis
ou verdes ou mel

homens de olhos claros
cuja cor mariela não sabia ao certo
homens de olhos claros que haviam
um dia
pousado sobre os olhos castanhos de mariela
uma dia, em tempos dos quais
ela se lembrava, mas não ao certo
em tempos antigos, dos quais sobrou apenas
uma cor incerta na memória

mariela costumava se apaixonar
por homens distraídos
homens altos, que caminhavam com a cabeça
tão nas nuvens, mas tão nas nuvens
que acabavam tropeçando em mariela,

mariela, tão no chão, tão lá em baixo
era tropeçada por homens altos
cujos olhos claros andavam nas alturas das nuvens
acompanhados de barbas, acastanhadas e macias
barbas que mariela não sabia se tinha inventado
e olhos que mariela não sabia se tinha inventado
que completavam homens altos
que tropeçavam em garotas pequenas de olhos castanhos
que costumavam se apaixonar por homens

que mariela sequer sabia se existiam.


tu misterio es mucho
mas interesante que
mi imaginacion
cuando caigas en mi charco
voy a sumergirme en vos
mirando en el reflejo
voy a sumergirme en vo

Nenhum comentário: