2.9.15

então comecei a ver narcos porque, né, eu já não vejo masterchef, tá cada vez mais difícil me enturmar na interwebs, então decidi fazer parte da onda dessa vez. narcos é legal, é interessante, é divertido, e é chocante. lembrando que, né, é uma história real, e vocês aí pirando com breaking bad. isso é uma das coisas mais incríveis do ser humano, né, gente, ele tem as fantasias mais loucas as idéias mais piradas pra fazer filme livro série mas sempre tem alguma coisa da vida real que o ser humano já fez que é ainda mais louco mais pirado que as invenção tudo.

but i digress.

na verdade não tô digressing tanto assim, porque o que eu mais quero comentar sobre narcos é a parte do começo, em que se fala sobre realismo fantástico - que na série eles chamam de realismo mágico, ~tomeito tomáto-





ólia, gente, essa introduçãozinha sobre realismo fantástico me ganhou já de cara pois esse é apenas o meu gênero literário favorito, o melhor do mundo, e digo também o mais subestimado.

e embora a gente tenha um grande representante do gênero na colômbia, gabriel garcía márquez, e que ele tenha escrito talvez os livros mais conhecidos do gênero, eu preciso discordar sobre o fato do realismo fantástico ter nascido na colômbia???

como eu disse, esse é meu gênero favorito. e durante a faculdade, dentre as poucas ideias que eu tive pra talvez fazer uma iniciação científica, algumas delas foram:

- por que realismo fantástico é  o melhor gênero literário da história da literatura
- por que bioy casares é o melhor e mais subestimado autor do mundo
- toda a beleza do realismo fantástico

(como vocês podem ver, minhas ideias pra pesquisa são bem pouco objetivas e muito mais focadas em falar sobre como eu amo realismo fantástico. a outra ideia que eu tive pra um projeto era sobre dr. dog, então vocês notem que meu emotivo fala muito mais alto que meu lado acadêmico)

mas enfim, eu sou defensora veemente de que o realismo fantástico nasceu na argentina, com borges, cortázar e o melhor de todos bioy casares. isso se a gente não pensar em calvino e pirandello, que bem antes já tavam fazendo algo bem parecido só que, né, mais italiano.

e mudando completamente de assunto: gente???

e o capitão nascimento herói militar do rio de janeiro fazendo esse escobar sinistrão?




quer dizer, eu sei que no segundo filme ele aprendeu que o inimigo era outro, mas precisava virar a casaca tão fortemente?



eu fiquei tipo



Nenhum comentário: